Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Pensão Lisbonense

Águas correntes, quentes e frias.

Pensão Lisbonense

Águas correntes, quentes e frias.

O Escritor de Afetos

 

O Whisky Chivas Regal não é de todo o meu Whisky preferido. Não é Single, nem Malt e a sua versão corrente tem menos de 18 anos. Só permito que a minha gastrite, conquistada a muito custo, seja perturbada com coisas que do alto do meu infalível gosto, valham realmente a pena. Prerrogativas e manias fúteis de quem se instalou de armas e bagagens nos “entas”. Nada a fazer!

 

Não apreciando particularmente, penso que foi através da uma sua publicidade que aprendi um excelente instrumento para enquadrar definitivamente quem comigo interage. Feita uma análise estatística com o nível de confiança adequado, concluí que só me dou realmente bem com pessoas que encaram a vida de forma positiva, que raramente usam a desgraça alheia como meio para a sua auto-promoção, entre outras estratégias denunciadoras de uma outra qualquer sintomatologia freudiana.

 

Em suma, aprecio  quem procura nos outros aspectos que possam capitalizar e valorizar a relação mútua e não os aspectos negativos que os separam.

 

Apesar do nível estatístico ser de confiança, sinto que ele há alguns individuos, não obstante a “garrafa estar invariavelmente vazia”, pelo quais nutro um carinho especial. Não é pena! É todo um outro conjunto de outras características completamente inqualificáveis mas que me agradam de sobremaneira, apesar de.

 

Um dia destes, procurando informação específica, deparei com a seguinte conversa entre Mega Ferreira e o falecido António Alçada Baptista, “Sabes, Mega”, diz Alçada Baptista, “o mundo divide-se em duas categorias de pessoas: as que gostam de viver e as que não gostam de viver.”

 

Não sei se pelo avançado da noite se pelo forte hedonismo da expressão, fez-se luz! De facto, embora existindo alguma correlação entre as formas enunciadas, esta dicotomia “gostar ou não de viver”, constitui o elo, o regressor, a variável Dummy que faltava no meu elaborado modelo de catalogação definitiva do ser humano em geral e dos amigos em particular.

 

Os mais íntimos, permitam-me a ousadia mas, por via das dúvidas, naqueles dias mais complicados, sempre que estiverem na presença de "uma garrafa meio vazia", acabem com ela de um só golo, em nome da minha infinita amizade e hedónico respeito.

 

 

Depoimento integral de António Mega Ferreira a António Alçada Baptista

 

Depoimento